Janeiro Roxo: Hanseníase

  Em 2016, o Ministério da Saúde consolidou a cor roxa para campanhas educativas sobre a Hanseníase. A campanha Janeiro Roxo tem como objetivo informar e conscientizar a população em relação a essa doença. Segundo a Organização Mundial da Saúde, em 2016, 143 países reportaram 214.783 casos novos de hanseníase, o que representa uma taxa […]

 

Em 2016, o Ministério da Saúde consolidou a cor roxa para campanhas educativas sobre a Hanseníase. A campanha Janeiro Roxo tem como objetivo informar e conscientizar a população em relação a essa doença.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, em 2016, 143 países reportaram 214.783 casos novos de hanseníase, o que representa uma taxa de detecção de 2,9 casos por 100 mil habitantes. 

No Brasil, em 2016, foram notificados 25.214 casos novos, perfazendo uma taxa de detecção de 12,2/100 mil hab. Em 2018 foram notificados 28.657 casos novos, o que significa uma taxa de crescimento de 14% em dois anos. Esses parâmetros classificam o país como de alta carga para a doença, sendo o segundo no ranking de maior número de novos casos registrados no mundo, perdendo apenas para a Índia. 

A hanseníase é uma doença infecciosa e contagiosa. Ela causa manchas esbranquiçadas, róseas ou avermelhadas e pode alterar a sensibilidade da pele. Quando isso ocorre, o  portador não sente ou tem a sensibilidade diminuída ao ser submetido ao calor, frio, dor e até mesmo ao toque. 

Também é comum a sensação de formigamento, fisgadas ou dormência em pés e mãos, e em algumas áreas pode haver diminuição do suor e de pelos. A doença pode provocar o surgimento de caroços e placas em qualquer local do corpo e diminuição da força muscular. 

A hanseníase é causada pelo bacilo Mycobacterium leprae e sua transmissão é por via oral e acontece de pessoas doentes sem tratamento para pessoas saudáveis, através da tosse, espirro e fala.

O diagnóstico é realizado durante uma consulta, onde o médico analisa as lesões e alterações específicas, como dormências e formigamentos. É importante ressaltar que todas as pessoas que convivem ou conviveram com um portador de hanseníase devem ser examinadas.

O tratamento da hanseníase é simples. Em qualquer estágio da doença, o paciente recebe gratuitamente os medicamentos para ingestão via oral. Esses remédios destroem os bacilos. O tratamento leva de seis meses a um ano. Se seguir o tratamento cuidadosamente, o paciente será curado da doença.

Outras notícias

Dia Mundial da Asma

  Anualmente, na primeira terça-feira do mês de maio, celebramos o Dia Mundial da Asma. Promovida e incentivada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), essa campanha tem o objetivo de conscientizar e informar a população em relação a asma. Uma das doenças respiratórias crônicas mais comuns, trata-se de uma inflamação dos brônquios, não tem cura, […]

Dia Mundial de Combate às Drogas e ao Alcoolismo

No dia 20 de fevereiro foi celebrado o dia mundial de combate às drogas e ao alcoolismo. O uso indevido de substâncias como álcool, cigarro, crack e cocaína é um problema de saúde pública mundial, pois além do impacto na saúde afeta valores culturais, sociais, econômicos e políticos. A dependência às drogas e o alcoolismo […]

Planejamento Familiar: dados e importância

  O planejamento familiar funciona através do controle do número de filhos e intervalos entre gestações. Essas ações tem como objetivo garantir o bem estar da criança e do casal, pois dessa forma é possível escolher qual o melhor momento para a chegada dos filhos e o crescimento da estrutura familiar.  Além do controle do […]