Dia Mundial de Prevenção à Obesidade – 11 de outubro

  A obesidade é uma doença caracterizada pelo excessivo acúmulo de gordura corporal e normalmente está associada a problemas de saúde. Ela pode ser um fator de risco para várias doenças, como câncer, doenças cardiovasculares, doenças cerebrovasculares, apneia do sono, diabetes, etc.   Uma das formas mais utilizadas para classificar e diagnosticar a obesidade é […]

 
A obesidade é uma doença caracterizada pelo excessivo acúmulo de gordura corporal e normalmente está associada a problemas de saúde. Ela pode ser um fator de risco para várias doenças, como câncer, doenças cardiovasculares, doenças cerebrovasculares, apneia do sono, diabetes, etc.
 
Uma das formas mais utilizadas para classificar e diagnosticar a obesidade é através do cálculo do índice de massa corporal (IMC). Esse método é prático e simples. No entanto, a sua aplicação é recomendada somente para adultos, pois em crianças e adolescentes o diagnóstico é feito através de tabelas que relacionam idade, peso e altura.
 
O cálculo do IMC gera um resultado que é classificado da seguinte maneira:
 
• Baixo peso – menor que 18,5
• Normal – 18,5 a 24,9
• Sobrepeso – 25 a 29,9
• Obeso I – 30 a 34,9
• Obeso II – 35 a 39,9
• Obeso III – maior que 40
 
O ganho de peso pode ocorrer, em geral, por quatro motivos: alimentação em excesso, gasto calórico reduzido, facilidade em acumular gordura ou dificuldade em queima-las. Os fatores a seguir são apontados como causas favoráveis para a obesidade:
 
• Alimentação: o tipo de alimentação está diretamente ligada ao risco de obesidade, isto é, os exageros na alimentação são, na maioria dos casos, responsáveis pelo aumento de peso. Maus hábitos alimentares também ajudam a engordar, como não ter horários fixos para comer, exagerar no consumo de alimentos gordurosos, ficar longos períodos em jejum, fazer poucas refeições durante o dia e em grandes volumes.
• Baixa atividade física: o exercício físico contribui com o gasto diário total de energia, além de ajudar a no controle do apetite. Também proporciona um aumento da massa corporal magra e provoca a queima de gordura nos tecidos.
• Fatores genéticos: crianças de pais obesos apresentam maior risco de se tornarem obesas quando comparadas às crianças cujos pais apresentam peso normal.
• Endocrinopatias: as doenças de origem hormonal são causas raras da obesidade, como hipotireoidismo, síndrome dos ovários policísticos, deficiência de hormônios do crescimento, etc.
 
O tratamento para obesidade inclui uma reeducação alimentar, que consiste no consumo de alimentos adequados, além de respeitar os horários das refeições. O início de alguma atividade física também faz parte do tratamento, pois ajuda a gastar a energia acumulada. A prevenção se inicia na infância, incentivando a criança a ter uma dieta balanceada sem excessos e a prática de exercícios.
 
Alimente-se bem, faça exercícios físicos e visite o médico periodicamente!
 
FONTE: BVSMS – Biblioteca Virtual em Saúde

Outras notícias

Fevereiro Roxo

Nos últimos anos, alguns meses foram associados às cores, simbolizando campanhas de conscientização da população em relação a algumas doenças, em sua maioria graves, visando incentivar o diagnóstico precoce. Por este motivo em fevereiro foi adotada a cor roxa, visando a conscientização sobre Lúpus, Fibromialgia e Mal de Alzheimer. A campanha do Fevereiro Roxo foi […]

Dia da Conscientização Contra a Obesidade Mórbida Infantil

  Anualmente, no dia 3 de junho, celebramos o Dia da Conscientização Contra a Obesidade Mórbida Infantil. O principal objetivo desta data, consiste em conscientizar a população sobre os cuidados necessários para combater o avanço da epidemia de obesidade que ocorre no mundo. Segundo o Ministério da Saúde, uma em cada três crianças brasileiras está […]

Estresse no trabalho: sintomas e sinais

  A palavra “estresse” vem do inglês “stress”, que significa “pressão” ou “tensão”. Define-se estresse como um conjunto de reações orgânicas e psíquicas que são desencadeadas pela adaptação a novas situações. Quando em excesso, elas podem provocar desequilíbrio no organismo. O estresse é uma manifestação frequente no ambiente de trabalho e seus sintomas podem gerar […]