Dia Mundial da Psoríase

  Psoríase é considerada uma patologia sistêmica crônica, autoimune e não contagiosa, que afeta a pele de cerca de 3% da população mundial, isto é, 125 milhões de pessoas em todo o mundo. No Brasil existem 5 milhões de pessoas que convivem com esse diagnóstico. Anualmente, celebramos no dia 29 de outubro o Dia Mundial […]

 

Psoríase é considerada uma patologia sistêmica crônica, autoimune e não contagiosa, que afeta a pele de cerca de 3% da população mundial, isto é, 125 milhões de pessoas em todo o mundo. No Brasil existem 5 milhões de pessoas que convivem com esse diagnóstico.

Anualmente, celebramos no dia 29 de outubro o Dia Mundial da Psoríase, sendo o intuito da campanha combater o preconceito e melhorar a qualidade de vida dos portadores. Esse momento se torna importante para o esclarecimento de dúvidas e para mostrar que os pacientes podem conviver com a doença.

A psoríase apresenta um conjunto variado de sinais e sintomas, que às vezes podem ser confundidos com outras doenças da pele. Predominantemente estas manifestações, como lesões arredondadas, avermelhadas e descamativas na pele, geralmente aparecem nos joelhos, cotovelos, unhas, mãos, pés e couro cabeludo, podendo atingir todo o corpo.

Além disso, a psoríase é uma doença que vai muito além de uma questão “de pele”, pois está relacionada à outras condições médicas – como diabetes, hipertensão, obesidade e depressão, e pode ainda afetar as articulações dos pacientes (quando recebe o nome de artrite psoriática).

Pacientes com psoríase têm mais chance de desenvolver diabetes, Doença de Crohn, doenças cardiovasculares, obesidade e depressão e, por isso, o acompanhamento médico e a adesão ao tratamento é importante.

Existem inúmeras opções de tratamento, que devem ser devidamente orientados pelo dermatologista, entre eles: tratamento tópico com a utilização de medicamentos em cremes e pomadas, aplicados diretamente na pele; tratamentos sistêmicos com medicamentos em comprimidos ou injeções; tratamentos biológicos com medicamentos injetáveis; fototerapia (exposição da pele à luz ultravioleta de forma consistente e com supervisão médica).

Associada ao tratamento, a adoção de hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e a prática de atividade física, são relevantes à promoção de qualidade de vida do portador de psoríase.

Além disso, alguns fatores de risco podem aumentar as chances de uma pessoa adquirir a doença ou piorar o quadro clínico como histórico familiar, estresse, obesidade, tempo frio (quando a pele fica mais ressecada), consumo de bebidas alcoólicas e tabagismo.

A psoríase pode gerar impacto vultuoso na qualidade de vida e autoestima do indivíduo, o que pode piorar o quadro. Por isso é indicado o acompanhamento psicológico, em alguns casos.

Psoríase não é contagiosa, mas a empatia pode ser!

Outras notícias

Dia do Sono

  Celebrado desde 2001, o Dia Mundial do Sono possui o lema “Durma Bem, Fique Saudável”. Trata-se de uma iniciativa da Associação Mundial de Medicina do Sono, que tem como objetivo celebrar o sono e diminuir os problemas relacionados com a privação existente na sociedade. O sono é essencial para o bom funcionamento do organismo, porém […]

Fevereiro Laranja

A campanha Fevereiro Laranja alerta sobre a leucemia, câncer que afeta os glóbulos brancos. Na medula óssea são encontradas as células que dão origem aos glóbulos brancos (leucócitos), aos glóbulos vermelhos (hemácias ou eritrócitos) e às plaquetas. Na leucemia uma célula sanguínea que ainda não atingiu a maturidade sofre uma mutação genética e se transforma […]

Mens sana in corpore sano

  Uma das promessas mais frequentes no ano novo é a de ter uma vida mais saudável e buscar qualidade de vida. Algumas pessoas realmente começam a se mover, adotam bons hábitos, se matriculam na academia e passam a se alimentar de forma mais saudável. Outras, por algum motivo, desistem depois de alguns meses, ou […]