Dezembro Vermelho

  Nenhum mal pode ser vencido sem a conscientização, e uma delas é quanto ao combate e à prevenção da AIDS. O “Dezembro Vermelho” surgiu em 1987, quando a Assembleia Mundial da Saúde e a Organização das Nações Unidas (ONU) definiram que o dia 1 de dezembro seria o Dia Internacional da Luta Contra a […]

 

Nenhum mal pode ser vencido sem a conscientização, e uma delas é quanto ao combate e à prevenção da AIDS. O “Dezembro Vermelho” surgiu em 1987, quando a Assembleia Mundial da Saúde e a Organização das Nações Unidas (ONU) definiram que o dia 1 de dezembro seria o Dia Internacional da Luta Contra a AIDS.

Esta síndrome é causada pelo vírus HIV, que ataca o sistema imunológico, sendo os linfócitos T CD4+ as células mais atingidas. O vírus HIV é capaz de alterar o DNA dessa célula e fazer cópias de si mesmo e, depois de se multiplicar, rompe os linfócitos em busca de outros para continuar a infecção.

A transmissão ocorre principalmente por meio do contato sexual com uma pessoa infectada sem o uso de preservativo, podendo acontecer também durante a gestação (da mãe para o bebê), durante o parto, na amamentação ou através do compartilhamento de seringas e agulhas contaminadas.

A infecção pelo HIV pode ser detectada em, pelo menos, 30 dias a contar da contaminação. O exame de sangue realizado para detecção busca por anticorpos contra o HIV e o organismo leva de 30 a 60 dias para produzir estes anticorpos. Esse período é chamado de janela imunológica.

A incubação do HIV  pode durar de 3 a 6 semanas. Na primeira fase da doença,  conhecida como infecção aguda,  ocorrem os primeiros sintomas que são muito parecidos aos da gripe, com febre e mal-estar.

A segunda fase pode durar anos e é conhecida como fase assintomática, pois, apesar da forte interação entre as células de defesa e as constantes e rápidas mutações do vírus, o organismo não enfraquece o suficiente para permitir novas doenças, pois os vírus amadurecem e morrem de forma equilibrada.

Progressivamente, com o frequente ataque, as células de defesa começam a funcionar com menos eficiência até serem destruídas. O organismo fica cada vez mais fraco e vulnerável a infecções comuns, iniciando a fase sintomática, quando surgem sinais e sintomas como febre, diarreia, suores noturnos e emagrecimento.

A baixa imunidade permite o aparecimento de doenças oportunistas, sendo este o estágio mais avançado da doença.

Ainda não há cura para a AIDS, sendo utilizados medicamentos antirretrovirais para impedir a multiplicação do HIV no organismo. Esses medicamentos ajudam a evitar o enfraquecimento do sistema imunológico, sendo fundamental seu uso regular para aumentar o tempo e a qualidade de vida das pessoas que vivem com HIV e reduzir o número de internações e infecções por doenças oportunistas.

Houve uma queda no número de casos na última década, as nos últimos anos, principalmente na América Latina, os casos voltaram a aumentar.

Seja no mês de dezembro, ou em qualquer outra época do ano, compartilhe informações úteis sobre a prevenção e o tratamento da doença e converse sobre o assunto, pois a AIDS é um perigo real.

Outras notícias

HPV – Papiloma Vírus Humano

  O papiloma vírus humano, mais conhecido como HPV, é um vírus que pode ser transmitido pela via sexual ou pelo contato direto com a pele infectada. Ele é responsável pelo surgimento das verrugas genitais, das lesões no colo do útero e está relacionado a praticamente 100% dos casos de câncer do colo do útero, […]

Catapora: sintomas e transmissão

  Catapora, ou varicela, é uma infecção causada pelo vírus Varicela-zoster, altamente contagiosa, mas quase sempre sem gravidade. É uma das doenças mais comuns em crianças menores de 10 anos, tanto que mais de 90% dos adultos são imunes, pois já contraíram a doença em alguma época da vida. Uma vez exposta à catapora, a pessoa […]

Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos

  Na próxima semana, no dia 05 de maio, iremos celebrar o Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos. A data foi criada para alertar a população quanto os riscos à saúde causados pela automedicação. No Brasil, a venda de medicamentos sem apresentação da receita é um problema grave de saúde pública. Com a facilidade […]