Corona Vírus

Os coronavírus (CoV) compõem uma grande família de vírus, conhecidos desde meados da década de 1960, que receberam esse nome devido às espículas na sua superfície, que lembram uma coroa (do inglês crown). Podem causar desde um resfriado comum até síndromes respiratórias graves. O novo coronavírus é uma nova variante do coronavírus, denominada 2019-nCoV, que […]

Os coronavírus (CoV) compõem uma grande família de vírus, conhecidos desde meados da década de 1960, que receberam esse nome devido às espículas na sua superfície, que lembram uma coroa (do inglês crown). Podem causar desde um resfriado comum até síndromes respiratórias graves.

O novo coronavírus é uma nova variante do coronavírus, denominada 2019-nCoV, que não havia sido identificada em humanos. Este novo vírus foi identificado após a notificação de casos de pneumonia de causa desconhecida entre dezembro/2019 e janeiro/2020, diagnosticados inicialmente na cidade chinesa de Wuhan, capital da província de Hubei. Acredita-se que a fonte primária do vírus seja um mercado de frutos do mar e animais vivos em Wuhan.

Alguns coronavírus são capazes de infectar humanos e podem ser transmitidos de pessoa a pessoa pelo ar (secreções aéreas do paciente infectado) ou por contato pessoal com secreções contaminadas, estando limitada a familiares e profissionais de saúde que cuidaram de pacientes infectados.

Presume-se que o tempo entre a exposição ao vírus e o início dos sintomas seja de até duas semanas.

Uma pessoa infectada pelo coronavírus pode permanecer sem qualquer sintoma ou apresentar sintomas semelhantes ao resfriado, ou em casos graves, pneumonia e insuficiência respiratória aguda, com dificuldade respiratória.

Crianças de pouca idade, idosos e pacientes com baixa imunidade podem apresentar manifestações mais graves.

O diagnóstico do novo coronavírus é confirmado através de exames realizados por biologia molecular, que identificam o material genético do vírus em secreções respiratórias.

Não há um medicamento específico para tratamento, sendo indicado repouso e ingestão de líquidos, além de medidas para aliviar os sintomas, como analgésicos e antitérmicos.

Até o momento não há vacina.

Como reduzir o risco de infecção pelo novo coronavírus?

•Evite o contato próximo a pessoas com infecções respiratórias agudas;

•Lave frequentemente as mãos antes de se alimentar;

e especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;

•Use lenço descartável para higiene nasal;

•Cubra nariz e boca ao espirrar ou tossir;

•Evite tocar nas mucosas dos olhos;

•Higienize as mãos após tossir ou espirrar;

•Não compartilhe objetos de uso pessoal;

como: talheres, pratos, copos ou garrafas;

•Mantenha os ambientes bem ventilados;

•Evite contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.

Outras notícias

Calendário Vacinal Adulto

  A vacinação é uma das medidas mais importantes de prevenção contra doenças. Prevenir uma doença é muito melhor e mais prático do que trata-la. A atitude não protege apenas os que recebem a vacina, mas também ajuda a comunidade como um todo, isto é, quanto mais pessoas estiverem protegidas, menor é a chance de […]

Dia Mundial do Doador de Sangue

  A doação de sangue é uma ação generosa e totalmente voluntária que pode salvar vidas, pois o sangue é insubstituível. Anualmente, no dia 14 de junho, celebramos o Dia Mundial do Doador de Sangue. Essa data tem o objetivo de homenagear as pessoas que realizam este gesto de amor ao próximo, possibilitando também o […]

Alimentação saudável e atividade física

  A mudança no padrão alimentar e a substituição dos alimentos in natura e minimamente processados por alimentos processados ou ultraprocessados tem gerado um processo de transição epidemiológica e nutricional com a diminuição dos casos de desnutrição e aumento dos casos de obesidade.  Além disso, as comodidades da vida moderna e o excesso de atividades […]